APRENDENDO A DESENHAR COM QUEM SABE

Desde pequeno eu tinha facilidade para desenhar.

Digo facilidade porque como a maioria dos artistas mais talentosos que existem, também não acredito em dom.

Como o Ivan Querino comenta em um de seus vídeos, somente o estudo e treino te levam a outro patamar. O simples fato que você querem já o coloca a frente de muitas pessoas que podem ter mais facilidade mas não se mexem (como eu).

Acredito também quando dizem que a qualidade do desenho está na facilidade, ou melhor, na aguçada percepção da realidade. Pessoas que conseguem perceber as nuances das coisas que estão a sua volta conseguem transmitir isso pro papel mais fácil.

E claro que isso também é treino. Nosso cérebro não conhece limites, quanto mais você treiná-lo mais longe pode chegar. Existem estudos sobre isso inclusive.

Portanto, decidi melhorar a minha técnica acompanhando trabalhos que me agradam além de estar fazendo o curso do Ivan, Aprenda a Desenhar do Zero, que já me colocou anos luz a frente de onde estava. É realmente impressionante o que o direcionamento correto das técnicas de desenhos adequadas podem fazer por você.

Hoje meus desenhos e trabalhos estão 1000% melhor e posso dizer que aprendi a desenhar de fato.

Citarei dois artistas que sigo e gosto do trabalho, são completamente diferentes mas ambos tem seus encantos.

PixelPancho

Desenhista espetacular, em seus trabalhos são carregados de críticas sociais, a dicotomia
orgânico/máquina está super presente em seus desenhos.

Seus personagens são construídos em blocos, como se fosse a carcaça de máquinas. Seus personagens parecem um automato, como aquele do filme Hugo Cabret.

Com seus traços e desenhos consistentes, Pixel Pancho vem conquistando milhares de seguidores em seu Instagram.

Ver suas obras é lembrar uma era de revolução industrial contada por pessoas que imaginam como seriam os robôs no futuro, como no filme Blade Runner, é uma viagem para um futuro que está longe e perto ao mesmo tempo.

John Kenn Mortensen

Em outro lado do espectro está esse artista.

Seus desenhos a princípio parecem evidenciar traços simples e infantis, mas logo percebemos o estilo afiado do artista, um estilo extremamente detalhista e simples ao mesmo tempo. A morbidez dos desenhos e seus significados nada ocultos impactam em um primeiro momento.

A beleza da obra de John Kenn Mortensen consiste justamente no juízo de valor que fazemos de suas obras. Muitos desenhos parecem uma viagem ao subconsciente infantil das pessoas, viagens oníricas abstratas e perturbadoras.

Os desenhos impressionam.

Voltando ao assunto, é bacana você ter pessoas com trabalhos legais para seguir, em qualquer área do conhecimento é importante ter referências e no caso do desenho não é diferente.

Você acaba amadurecendo como desenhista e agregando outros elementos e influências em seu trabalho, só tem benefícios.

Para quem não sabe nada sobre desenho e quer aprender clique no link como desenhar. Você obterá dicas de como começar seus estudos e seguir em frente no mundo do desenho.

Não se esqueça, dedicação é tudo, trace seus objetivos e siga em frente.

Leave a Comment

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *